terça-feira, 2 de março de 2010

Opinião - Grandes Personagens

Caros amigos, gostava de partilhar convosco um assunto em que tenho pensado: os grandes personagens que me marcaram enquanto leitor.
Revendo os meus livros, encontro nove que claramente se destacam e que passo a expor sem ordem hierárquica:
  1. Emma, em Madame Bovary, uma mulher cheia de carácter, lutando contra o preconceito, apenas para ser feliz.
  2. Aliocha de Os Irmãos Karamazov, um jovem guardião da sensatez perante loucuras e paixões. O herói que não julga nem condena. O homem de paz por excelência.
  3. Zossima de Os Irmãos Karamazov. O guardião da verdade e da virtude. Um velho clérigo cheio de sabedoria.
  4. Florentino Ariza de O Amor em tempos de Cólera. Comia pétalas de rosa e bebia frascos de água de colónia para se sentir perto de Fermina. Tocava violino para ela escolhendo o lugar da serenata conforme o rumo do vento para que ela o escutasse.
  5. Nathan Glass em As Loucuras de Brooklin. Com 72 anos e uma doença terminal, este apaixonado pelos livros redescobre novos laços de ternura, renasce para a vida. A solidão como caminho para a felicidade.
  6. Kincaid, de As Pontes de Madison County. Um homem íntegro, feliz embora solitário, livre embora rendido à paixão, sonhador embora seguro de si. Um herói real.
  7. Falcão de A Saga de um Pensador: a rejeição da razão em nome da liberdade. O símbolo da felicidade em harmonia com a natureza e o mundo.
  8. Heatcliff de O Monte dos Vendavais um homem dominado pelas paixões. Uma paixão inexplicável à luz da razão e conjunto de atitudes e traços de personalidade determinados pelas emoções e sentimentos. É ódio, amor, medo e paixão. Um vendaval.
  9. Nakata, de Kafka à beira-mar; o velho e bom Nakata que fala com os gatos, faz chover sanguessugas ou peixes, depois de ter sido vítima de um estranho acidente, na sua juventude. É a sabedoria, a calma, a perfeição do espírito.
Gostava agora de saber da vossa opinião...

11 comentários:

continuando assim... disse...

convite para a seguir a história de Alice
lá no ...continuando assim...


bj
Teresa

N. Martins disse...

Ainda não li alguns dos livros que referes aí, mas definitivamente que o Florentino Ariza de O Amor em tempos de Cólera e Nakata, de Kafka à beira-mar são personagens extraordinárias.
Acrescento mais estas:
- O Baudolino do Umberto Eco.
- A Annie do Misery - Stephen King. É assustadora a forma como simpatizamos com ela;
- Cipriano Algor da Caverna - Saramago. Sempre achei este livro um dos mais bonitos do Saramago e acho que isso se deve a esta personagem tão ternurenta.
- Baltasar e Blimunda do Memorial do Convento - Saramago. Têm de se indicadas as duas juntas porque uma sem a outra não fazem sentido.

Tenho um selo no meu blogue, http://queroumlivro.blogspot.com/2010/03/selo.html, para o Meus Livros. :)

susemad disse...

Lembro-me bem da Emma, do Florentino Ariza e do Heatcliff, sem dúvida personagens muito bem delineados e que não se esquecem facilmente! :)

Acrescento o Carlos da Maia e a Maria Eduarda, que não consigo esquecer por fazerem parte da primeira obra (Os Maias) que li do Eça. Marcaram-me bastante!

Baltasar (sete-sóis) e Blimunda (sete-luas), "Memorial do Convento", mais dois personagens bem vincados na minha memória. Um amor inigualável, com vidas cheias de sonhos. Os meus personagens de sempre! :)

Meursault d'O Estrangeiro outro personagem marcante, que nos faz questionar e colocar em causa uma série de valores.

Unknown disse...

N. Martins, tenho de rever o Baudolino; é engraçado que li o livro mas o personagem não me ficou na memória... A Caverna é um dos livros de Saramago que ainda não li. Mas vou ler... Tens razão quanto ao Baltasar e Blimunda; são dois personagens fantásticos!
Obrigado pelo selinho. A propósito: gosto muito do teu blog :)
Tonsdeazul, é engraçado que quando fiz esta lista pensei num personagem d'os Maias. Mas, curiosamente, apontaria o Ega. Não sei porquê mas identifico-me mais com ele do que com o Carlos. Ega é um exagerado, um excêntrico, um crítico; uma pessoa sempre insatisfeita. Gosto de personagens/pessoas assim :)
Quanto ao Mersault d'O Estrangeiro: trata-se de um livro magnífico; uma obra prima, mas o jeito angustiado do Mersault... digamos que não me fascina.

Aprendiz de Poetisa disse...

Boa tarde.

Obrigada por seguir o meu blog.

Queria pedir-lhe se poderia divulgar o meu livro, Mistério em Connellsville, no seu blog e, inclusive, junto dos seus alunos.

Todas as informações disponíveis em www.misterioemconnellsville.blogspot.com

Obrigada.

Unknown disse...

Aprendiz de Poetisa
terei muito gosto em divulgar o livro mas, se reparar no blog, eu apenas coloco livros depois de ler (isto é uma espécie de diário de leituras :)
Portanto, logo que leia o livro, obviamente colocarei aqui o meu comentário. Com todo o prazer.

Paula disse...

Grandes personagens

Ema, uma mulher fantástica que procurou a conquista da sua felicidade.
Florentino :) haverá homem mais persistente??

Acrescento:

Constance de "O Amante de Lady Chatterley pela força que teve de lutar pela sua felicidade e conseguir, mesmo que tenha deixado para trás todo o luxo em que vivia.Uma demonstração de que a rotina do bem estar nunca será sinónimo de felicidade.

Ródion de Crime e Castigo pela dualidade entre o bem e o mal...o ser capaz de...fazer e aguentar ou não as consequências...

Fernão Capelo Gaivota porque "vê mais longe a gaivota que voa mais alto" ;)

Um abraço

Unknown disse...

Paula, concordo em absoluto quanto a Emma e a Fernão Capelo Gaivota.
Quanto a Rodion, acho que aquela alma se atormentava demasiado... todos somos um pouco como ele, mas acho que devemos lutar contra isso. No fundo "basta" seguir a citação que fazes de F. C. Gaivota - voar um pouco mais acima e olhar para os tormentos de bem alto...

Ricardo Antonio Lucas Camargo disse...

Pondo no meio a minha colher: gosto do Kurz de Coração das trevas, de Joseph Conrad, como um homem que se percebe em meio a uma loucura generalizada, que se traveste de sanidade. Também tenho simpatia pelo Pierre Bezukhov de Guerra e paz, buscando a sanidade em meio às guerras napoleônicas, o Michael Kohlhaas, de Heinrich von Kleist, empurrado para fora do mundo das pessoas de bem por uma arbitrariedade, o Visconde de SAbugosa, personagem de Monteiro Lobato que é o protótipo do cientista.

MiC disse...

Personagens literárias...

Werther, sem dúvida (não sei o que falta no livro, para não merecer o tal "10")

Mardou do Subterrâneos do Kerouac, pela ternura, paciência, envolvimento

O Caixeiro no Vazio da Onda do Stevenson (óptimas personagens que ele cria, e esta é carregada de tiradas bem humoradas)

Molloy do Samuel Beckett, outro "alucinado"...

(eu tenho um fascínio por aves raras, ontem cruzei-me com mais uma)

Boris Stepanovich do Paul Auster no país das últimas coisas.

Há também a personagem enigmática do estrangeiro (camus), e o Sempere do Jogo do Anjo do Zafón, que deixa alguma saudade.

Achei piada ao desafio, aqui foi o meu contributo...Por acaso não está nenhum português, mas o João Aguiar, o Tordo têm outras boas personagens...

Unknown disse...

Olá Ricardo
Pierre é também um dos meus favoritos. Mas quando fiz esta lista ainda não tinha lido Guerra e Paz :)
Olá MiC
antes de mais bem vindo a este cantinho.
Deixa-me aqui boas propostas de leitura. Fico sempre com a sensação que há tanto para ler...
De facto, ainda não li Kerouac, Stevenson e Beckett. Mas já anotei ;)
Quanto ao Werther, o que falta para o tal 10? Olhe nem eu sei... esta avaliação é apenas uma impressão pessoal, não uma avaliação literária. Se assim fosse teria 10 sem dúvida. O que significa o 8? Significa que faltou 20% de prazer na leitura. Tão só.
Estou a ler o livro do Zafon. Fala do Sempere, mas eu admiro mais um Fermin: o D. Quixote de Zafón :)
Em relação do Boris do Auster, concordo que é um personagem magnífico. É o exemplo do mentiroso simpático e o exemplo de como a mentira é, mais do que uma estratégia de sobrevivência, uma necessidade da qual o ser humano não consegue fugir.
Um abraço