segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A melhor leitura do mês - Outubro

Outubro foi um mês de maior qualidade do que quantidade.
Pelas mãos, pela vista e pela mente passaram-me:
- Um decepção bem grande com um clássico frustrante: Nossa Senhora de Paris, do grande Victor Hugo que aqui se revela mais filósofo e historiador do que romancista; por mim, prefiro guardar do corcunda a imagem que me ficou da Disney :)
- Uma decepção de quase mil páginas: um livro que quis ser manual de História e romance ao mesmo tempo e do qual resultou uma caricatura do Guerra e Paz: A Queda dos Gigantes, de Follett.
- Uma surpresa agradável: A Arte de Morrer Longe de Mário de Carvalho. Um livro divertido que vai dizendo umas coisas sérias pelo meio. Um escritor que merece mais atenção por parte da opinião pública.
- Uma revelação: Ana Cristina Silva em As Fogueiras da Inquisição. Um livro triste, revoltante, profundo. Uma autora que pode vir a ser um caso sério se aprimorar melhor a vertente ficcional.
- Uma confirmação: o génio de Mia Couto, um escritor que não faz obras-primas mas anda sempre por perto.
E TRÊS LIVROS MAGNÍFICOS de 9.5 na escala de 0 a 10:
- O livro mais divertido do ano: Royal Flash de George MacDonald Fraser. Este segundo volume da Odisseia de um Cobarde consegue ser ainda mais hilariante que o primeiro.
- O topo (até agora) da carreira de José Luís Peixoto, com o Livro.
- A confirmação de um génio da nova literatura portuguesa: Valter Hugo Mãe com o formidável A Máquina de Fazer Espanhóis.
Perante isto... como escolher o melhor livro do mês...
A tarefa revela-se árdua.
No entanto...
Decidido "sobre a linha da meta"... the winner is...



:)

7 comentários:

N. Martins disse...

Mais uns quantos para a lista de livros a adquirir.
Estou morta por o do Valter Hugo Mãe e o do Jorge Luís Peixoto. E o da Ana Cristina Silva também já anda debaixo de olho desde que li uma boa crítica algures na blogoesfera, parece-me muito interessante.

Manuel Cardoso disse...

N. Martins, pelo que conheço dos teus gostos, tenho a certeza que vais gostar deste Valter Hugo Mãe.
Uma coisa curiosa que só reparei agora: as minhas maiores decepções foram os dois livros mais volumosos do mês, o que prova que não é preciso escrever muito para ser genial.

Books Lovers disse...

Eu espero começar em breve o tão famigerado Livro =)

boas leituras

http://bookslovers.blogs.sapo.pt/

tonsdeazul disse...

O de Valter Hugo Mãe tenho-o na prateleira à minha espera e como fiquei fã da sua escrita, sei que me vai agradar. ;)
Mário de Carvalho quero conhecer. Já ouvi falar muito dos seus livros e ando com curiosidade de ler algo dele e talvez seja mesmo com este "A Arte de Morrer Longe" que vou começar.
"As Fogueiras da Inquisição" deixaram-me água na boa para ler mais sobre este tema e sobre Beatriz de Luna. Tenho "Gracia Nasi" para ler (oferta do "Destante" ^.^) e ao que parece "A Senhora" de Catherine Clément também fala sobre esta personagem histórica.
Agora a tua opinião e a da Paula sobre o "Nossa Senhora de Paris" é que me deixaram sem vontade para ler essas quase mil páginas... Ainda não comprei a obra, mas agora tenho muitas dúvidas se a irei adquirir ou até mesmo lê-la...
Nunca li nada de George MacDonald Fraser mas o teu entusiasmo contagiou-me e hei-de procurar os livros na biblioteca. ;)
Ken Follett ainda aguarda que eu leia "Os Pilares da Terra" e quanto ao Peixoto, pois... Bem sabes o que eu penso sobre o autor. :)

Kézia Lôbo disse...

Gosto de vir aqui pq sempre tem uma indicação de livros diferentes. Tipo aqueles que as vezes esqueço que existem e aqueles que não conheço, mas que trazem historia estupendas!!!
Haja espaço pra lista e tempo pras leituras!!!

MJ FALCÃO disse...

http://falcaodejade.blogspot.com/2010/11/quem-e-marcel-proust-resposta-uma-amiga.html

Proponho-lhe uma visita a Proust...
Bom fim de semana

Manuel Cardoso disse...

Olá tons de azul
garanto-te que vais adorar este livrinho do Mário de Carvalhpo. Sinceramente não entendo muito bem porque é que este escritor foi sempre tão... não digo esquecido, mas afastado das grandes montras. Talvez a sua ideologia política explique algo. este país ainda sofre desta politiquice bacoca...
Também te recomendo o Fogueiras da Inquisição, o Valter Hugoi Mãe e principalmente o Fraser. É, como direi, refrescante, descontraído, divertido :)
Olá Kezia
Claro que há sempre espaço para leituras :). E obrigado pelo elogio.
Falcão, de facto ando um pouco ocupado (e também preguiçoso , confesso) e não tenho visitado outros blogues. Mas amanhã vou visitar o "teu" Proust. Prometo.