quinta-feira, 28 de abril de 2011

Lendo Gonçalo M. Tavares

Jerusalém.
Mais uma surpresa. Ao contrário do que esperava (mediante o que tenho lido), trata-se uma obra muito objectiva, de fácil leitura. A dimensão simbólica dos personagens e das situações torna-se perfeitamente clara ao longo da leitura.
Numa escrita límpida e clara, GMT percorre os aspectos mais sombrios da existência humana, as suas dúvidas e angústias mais lúgubres, através de personagens-tipo, todas elas em situações-limite. Mau grado o negro das emoções que desperta no leitor, não deixa de ser uma leitura fluente e agradável.
Enviar um comentário