quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Intervalo nos livros: um anúncio genial



Ao juntar músicos de sensibilidades tão diferentes, foi uma empresa de telecomunicações a dar o exemplo daquilo que deve ser a PROMOÇÃO DA CULTURA.
A campanha que esta empresa está a fazer merece ser destacada e elogiada por este serviço cultural que, independentemente dos lucros e estratégias capitalistas, se destaca pela originalidade.
Colocar lado a lado músicos como os Moonspell (um grupo de black metal) e a fadista Carminho, para além de um golpe de génio é uma lição de tolerância. Muitos de nós caem sistematicamente no erro de confundir aquilo que não gostamos com aquilo que é mau. Um fã de Black Metal não gosta de fado. Um fã de fado, por sua vez, detesta Black Metal. Mas nenhum deles tem o direito de dizer que o género que detesta é mau. Este pequeno vídeo ensina-nos isso: o que é DIFERENTE pode ser BOM.
Viva pois a diferença!

5 comentários:

Patrícia disse...

Todos os duetos improváveis são muito bons, mas este é fantástico. Adoro. E, lá está, sou daquelas que gosto imenso da voz da Carminho e não gosto de nenhuma música dos Moonspell.

Isabel disse...

Estas misturas costumam resultar interessantes.
É giro.
Um abraço

tonsdeazul disse...

Estão fantásticos estes duetos!
E eu pertenço à excepção, pois tanto gosto de ouvir Moonspell, como gosto da Carminho. ;)

Nuno Chaves disse...

onde é que está o botão "like" neste post? a versão que mais gostei, foi mesmo Quim Barreiros e Rui Reininho (improvavél não?)

Manuel Cardoso disse...

Patrícia e tons de azul, eu prefiro Moonspell :) sempre é uma coisa mais positiva que aquela tristeza toda do fado...
Nuno, eu também gosto muito desse mas acho este mais... radical :)