domingo, 10 de julho de 2011

Escritores ou escrevedores? Ou nem isso?

Como se explica que livros escritos por jogadores de futebol, treinadores, ou outros VIP’s sejam êxitos de vendas, mesmo quando essas pessoas não sabem sequer falar em português correcto? Só me ocorrem duas respostas. Ou melhor, uma resposta com duas explicações: não são eles que os escrevem e não é pelo conteúdo que os livros vendem. O certo é que as pessoas compram… porquê, então? Não sei; só sei que há incompetências que são premiadas. Mas acreditem que isto não me irrita nada; inspira-me, isso sim, uma certa piedade para com aqueles “inocentes” que embarcam em maroteiras destas. E, por outro lado, ler é sempre bom, seja de que forma for.
Estes fenómenos, infelizmente, não se restringem à literatura; há cada vez mais “escritores” que não sabem escrever mas todos vemos, cada vez mais, políticos que não sabem governar, jornalistas que não sabem contar a verdade, jogadores de futebol que não jogam nada, magistrados que maltratam a justiça, etc. etc.
Enfim, é o mundo moderno; o mundo em que interessa menos a competência do que a imagem.
Enviar um comentário