sábado, 21 de maio de 2011

Lendo Machado de Assis

Nunca tinha lido nada deste grande mestre da literatura brasileira. A meio do livro (D. Casmurro), é já possível reconhecer em Machado de Assis uma capacidade narrativa extraordinária. A sua linguagem, expremamente objectiva, torna a narração límpida, transparente, sem floreados.
Trata-se da história de Bento Santiago, contada na primeira pessoa, desde a infância, passando pelo seminário e o primeiro amor (Capitu), até ao momento em que escreve, com cerca de 50 anos.
Ao longo do livro é extraordinário o retrato social da época (meados do século XIX), o tradicionalismo dos costumes e o moralismo que caracterizavam a classe aristocrática brasileira, ainda esclavagista.
Um livro interessante que se lê com gosto. Saúda-se a sua inclusão na colecção "Não-Nobel" do jornal Público. Excelente iniciativa.
Enviar um comentário