terça-feira, 21 de junho de 2011

Maigret e a Mulher Desaparecida - Georges Simenon

Às vezes é bom regressar à adolescência. Estes eram os meus livros dos 15, 16 anos: a Colecção Vampiro dos Livros do Brasil, comprados em segunda ou terceira mão no “velhote” da Arcada, no centro de Braga, que tinha uma arca metálica verde-escura cheia destas preciosidades a preços de saldo.
Enquanto a malandragem lia “livros de cow-boys”, as meninas liam a Bianca e os “betos” liam o Jornal das Letras, eu lia disto! Era uma verdadeiro drama quando acabava o livrinho sem ter outro para ler a seguir.
Um dos meus exemplares que sobrou desses saudosos anos 80 foi este Maigret.
Reler Simenon foi um verdadeiro regresso ao passado e, receio, um regresso ao viciozinho dos policiais.
O que tem de encantador este tipo de livros é a habilidade extraordinária destes escritores par criar sempre um final absolutamente imprevisível: a gente imagina que o criminoso é o sempre suspeito mordomo, depois convence-se que é a esposa infiel, mais tarde desconfia do amigo traiçoeiro da vítima para no final descobrir que afinal o assassino era aquele tipo discreto e às vezes boa pessoa com quem até simpatizávamos.
Mas há algo ainda mais interessante: é que o leitor fica sempre com a sensação de que a resposta ao enigma estava ali mesmo à mão, bem visível e a gente nem reparou. Um bom escritor de policiais deixa boas pistas ao leitor e nem mesmo assim ele desvenda o mistério antes do final apoteótico em que o inspector explica a trama toda. Mau escritor é aquele que resolve o mistério com um passe de mágica, apontando o assassino sem ter dado qualquer pista ao leitor. Mas não é o caso de Simenon. Longe disso. Este é um mestre. Lembro-me de um outro livro dele, que não vinha na Vampiro mas que foi publicado pelo jornal Público na célebre colecção Mil Folhas. Chama-se O Homem que Via Passar os Comboios e hei-de relê-lo em breve. Esse sim, é uma obra-prima do género. Este Mistério da Mulher Desaparecida é um policial típico. Não tem nada de extraordinário mas não deixa de ser pura diversão.
Aconselhável para levar para a praia!
Avaliação pessoal: 8/10
Enviar um comentário