quarta-feira, 30 de março de 2011

Ângelo de Sousa

Faleceu hoje um dos mais interessantes e talentosos artistas plásticos portugueses: Ângelo de Sousa.
A vida é assim: muitas vezes só se dá a conhecer após a morte. Este génio das artes portuguesas não aparecia nas revistas VIP; não frequentava os círculos mais “in”. Era um homem simples, um homem do norte, trabalhador incansável mas com uma criatividade imensa.
Os seus quadros (mono ou policromáticos) fazem-nos mergulhar no reino fantástico das cores e dos sonhos, algures entre a imensidão de Pollock e o encantamento de Kandinsky; os seus desenhos são percursos mentais que desafiam os sentidos: sinuosidades estreitas ou formas amplas rumo ao desconhecido que há em nós.
Morreu um génio. Nasceu uma estrela.
Imagens retiradas daqui e dali.


Enviar um comentário